“Se não há justiça para o povo, que não haja paz para o governo"

Emiliano Zapata

O Sonho de Sonia, direção Diego Sarmiento (Peru)
7º Slow Filme - Festival Internacional de Cinema

Único evento no Brasil que une filmes, alimentação e cultura. De 15 a 18 de setembro, no Cine Pireneus, em Pirenópolis, Goiás. Entrada franca, mediante a retirada de ingresso na bilheteria do cinema.

Presença do chef português André Magalhães, premiado pela revista Wine como “Personalidade do Ano na Gastronomia” de Portugal. Exibição de 24 títulos, entre curtas e longas-metragens, a grande maioria inédita no País.
 
Haverá também o lançamento no Brasil do projeto “Esporão & A Comida Portuguesa a Gostar Dela Própria”, com a presença do realizador Tiago Pereira, com degustação de vinhos e azeites portugueses, Jerez e produtos do cerrado brasileiro.
 
Oficinas, exposições e muita informação sobre vinhos e comidas portuguesas. Ao longo de quatro dias, serão exibidos 24 filmes, entre curtas e longas-metragens, produzidos em diferentes países, como Espanha, Polônia, Portugal, Reino Unido, Suíça, Peru, Canadá, Japão e Brasil.

O 7º Slow Filme é uma realização da Objeto Sim Projetos Culturais e do Instituto Pireneus, com curadoria do cineasta e crítico Sérgio Moriconi.

Apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, Governo de Goiás, Prefeitura de Pirenópolis, Secretaria de Cultura de Pirenópolis e Secretaria de Turismo de Pirenópolis.

Conta, ainda, com as parcerias do Slow Food Pirenópolis, dos Laboratórios Sabin, das embaixadas da Espanha, França e Suíça e do Instituto Cultural da Dinamarca.

Destaque para a exibição do documentário de 14 minutos O Sonho de Sonia (El Sueño de Sonia), do Peru, dirigido por Diego Sarmiento, e roteiro de Álvaro Sarmiento e Diego Sarmiento.

O filme é inspirado na protagonista, em sua história, paixão e empenho. Sonia Mamani vive em Capachica, um dos 15 distritos da Província de Puno.

Nesse lindo lugar, uma península cujas costas são banhadas pelo Lago Titicaca, ela se dedica, desde os quinze anos de idade, à cozinha.

O reconhecimento de seu talento a levou a participar, como expositora, de importantes festivais culinários, como o Mistura, da capital Lima, em 2012.

Sua culinária peculiar, seu carisma, suas vestimentas, chamaram a atenção daqueles que lutam pela visibilidade e sobrevivência da comida e das identidades regionais.

Vai ser difícil desgrudar os olhos das imagens exibidas em filmes de ficção e documentários que integram a grade de programação do Slow Filme de 2016.

A programação completa do 7º Slow Filme está no site: www.objetosim.com.br

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Destaques

Mais Artigos